Um bom aprendizado não está relacionado apenas à qualidade do curso e dos professores — é preciso dedicação por parte do aluno para fortalecer o conhecimento. Diante disso, muitos estudantes utilizam técnicas de estudo para fixar o que foi aprendido e ter bons resultados acadêmicos.

Você passa horas estudando, mas, ainda assim, tem dificuldades de memorizar o conteúdo? Talvez o problema esteja na forma como você está fazendo isso. Acompanhe o texto e veja 5 estratégias que poderão lhe ajudar!

A curva do esquecimento

Antes de saber quais são as principais técnicas de estudo, é importante entender como funciona o processo de armazenamento do corpo humano.

Ao realizar uma leitura, dificilmente o cérebro guardará tudo o que foi aprendido. Esse processo é considerado normal e foi estudado pelo filósofo alemão Hermman Ebbinghaus. Em 1885, ele descobriu a curva do esquecimento, que mostra o quanto de informação conseguimos reter em determinado período.

De acordo com o filósofo, o estudante se lembra de todo o assunto ao final de uma leitura, no entanto, essas informações vão sendo esquecidas com os passar dos dias. No segundo dia, por exemplo, o cérebro retém cerca de 50% do que foi estudado.

Diante disso, as técnicas de estudo se tornam uma forma eficiente de minimizar o esquecimento e fixar melhor a matéria, sendo utilizadas por estudantes na escola, no vestibular, na universidade, em concursos, entre outras situações. 

Principais técnicas de estudo

1. Revisão

Fazer revisão é uma excelente maneira de guardar o conteúdo. De acordo com a curva do esquecimento, as principais informações são perdidas nas primeiras 24 horas, sendo assim, é importante revisar bem durante esse período.

Além disso, é recomendado intercalar as revisões para reforçar o que foi aprendido ao longo das semanas. O método descrito por Alberto Dell’Isola no livro “Supermemória — você também pode ter uma”, por exemplo, consiste em realizar uma revisão de 10 minutos em até 24 horas após o aprendizado, outra de 5 minutos na semana seguinte e mais uma de 2 a 4 minutos, 30 dias depois do estudo.

2. Autoexplicação

Como o próprio nome diz, a técnica consiste em estudar o conteúdo e explicá-lo para você mesmo com suas próprias palavras.

Fazer isso em voz alta e na frente do espelho também traz bons resultados, sendo algo positivo, inclusive, em casos de testes orais ou processos seletivos, já que a autoexplicação também ajuda a desenvolver o raciocínio lógico.

3. Teste prático

Os testes práticos são uma boa estratégia para assimilar o assunto, portanto, faça simulados para praticar o que foi visto nos textos. Quem estuda online pode encontrar pela internet exercícios dos mais variados assuntos.

4. Resumo

Além de fazer uma leitura atenta e realizar revisões intercaladas, os resumos ou fichamentos são maneiras eficazes de fixar melhor o conteúdo. Alguns alunos optam por grifar trechos dos textos, porém, reescrever as informações com suas próprias palavras é uma alternativa mais eficiente de aprendizado.

5. Mapa mental

A técnica consiste na criação de um diagrama para a compreensão do conteúdo de forma visual. Com ele, é possível criar esquemas com palavras, ícones e flechas, estabelecendo uma ordem lógica e hierárquica.

O mapa mental é útil na rotina estudantil e nas atividades profissionais, como o estágio, por exemplo. Hoje em dia, há sites e aplicativos para montá-lo de forma prática e online.

Como você pode perceber, as técnicas de estudo ajudam a reforçar o aprendizado e contribuem com a sua formação. Veja qual delas é mais adequada no seu caso e aplique-a em seu dia a dia!

Por fim, para conseguir colocar essas técnicas em prática é preciso organização e tempo. Sendo assim, confira nosso próximo artigo e saiba como conciliar estudo e estágio!

Powered by Rock Convert